Domingo, 27 de Maio de 2007

O poder da Internet

Águas Altas é uma pequena aldeia no interior de Portugal que anseia por uma estrada que a ligue ao mundo. Um projecto que tarda em chegar para desespero do jovem engenheiro Pedro. Para dinamizar a aldeia, Pedro cria um site: www.aguasaltas.com. Mas o site vai tornar-se num caso peninsular, quando uma empresa espanhola quer lançar no mercado ibérico uma marca de água com esse nome e fará tudo para conquistar esse domínio. A partir daí, gera-se a divisão da aldeia: há os que querem fechar o site, vendê-lo, lucrar com ele e os que vêem a atitude da empresa espanhola como mais uma tentativa de invasão. Num ápice, Águas Altas passa de aldeia a centro do mundo, sendo notícia de abertura de todos os telejornais. "Dot.com" é uma comédia de Luís Galvão Teles. i PUBLICO.PT
 

 

 

Para manter o site online foi criado o "Salvem o nosso site" .

É evidente que tudo isto é ficção, trata-se de um filme, por sinal bem acolhido pela crítica e pelo público.

Mas o que subsiste é a enorme potencialidade que a Internet tem de congregar esforços e mobilizar os cidadãos. Trazer este espírito mobilizador para o ensino é algo que se pretende rápido e eficaz..
No blog que dinamizo com a turma 8º C tenho procurado atingir o mesmo objectivo - fazer da Internet uma oportunidade para fundamentadas reflexões

publicado por dom.bacelar às 11:40

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 24 de Maio de 2007

Concurso Nacional de Páginas de Internet “TNT - Tou na Net


O Concurso Nacional de Páginas de Internet “TNT - Tou na Net” é promovido pelo jornal Ensino Magazine e pelo Centro de Competência da Beira Interior.

Para concorrer basta ter mais de 13 anos, submetendo a concurso a sua página de Internet ou blog.

A inscrição dos trabalhos a concurso é feita até ao dia 30 de Junho.
Este blog já está inscrito assim como o  http://oitavo-c.blogs.sapo.pt/  . Inscreva-se também....
publicado por dom.bacelar às 00:57

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Webquest - Como seleccionar e usar

Webquest - uma actividade de aprendizagem que aproveita a imensa riqueza de informações que, dia a dia, cresce na Web.

O conceito de webquest foi criado em 1995, por Bernie Dodge, professor da universidade estadual da Califórnia, EUA, como proposta metodológica para usar a Internet de forma criativa.

Dodge define-a assim:

"Webquest é uma atividade investigativa, em que alguma ou toda a informação com que os alunos interagem provém da Internet."

O enorme entusiasmo criado à volta do uso das  Webquest na sala de aula resulta do facto de permitirem conciliar o recurso ao enorme manancial de informações disponibilizado pela  Internet com a realização de uma tarefa concreta suficientemente motivadora para congregar a atenção dos alunos.
 
Vários são os sites que ou disponibilizam webquest s ou fornecem dicas para a sua elaboração.
Sónia Cruz produziu para o encontro sobre Webquest, que decorreu em 2006 na Universidade do Minho, a apresentação intitulada "Como seleccionar e utilizar uma WebQuest na aula?" que pela sua relevância aqui insiro.

publicado por dom.bacelar às 00:26

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 20 de Maio de 2007

Caça ao tesouro - uma metodologia de pesquisa na WEB

É consensual afirmar-se que há muita informação na Internet . Uma forma dos professores mobilizarem essa informação para propiciar aprendizagem nos seus alunos é dizer-lhes "pesquisem na Internet". No entanto quando esta pesquisa é feita  sem orientação e objectivo os resultados são geralmente pouco satisfatórios.  Por isso é preciso ter "método" para usar a Internet na educação. Um desses métodos é organizar desafios sobre um tema num formato que se assemelha às famosas caças ao tesouro.   

         O esquema ao lado ilustra o processo de uma caça ao tesouro. O esquema assemelha-se a um chapéu, em que a “big question”, colocada no cimo do chapéu adquire uma função aglutinadora ao despoletar a descoberta para as questões de índole mais específica, convertendo-se, deste modo, num jogo lúdico e motivador até chegar ao tesouro, o qual engloba as informações que o caçador pretende buscar. A base do chapéu simboliza a consistência e a ampliação das aprendizagens efectuadas aquando do percurso virtual realizado pelo caçador do tesouro.

A caça ao tesouro  é então um modelo de organização das informações para usos estruturados dos recursos da Internet na educação. Consiste na colocação de desafios de busca de informações e dados na Internet, propondo um conjunto de questões cujas soluções dependem de leitura e interpretação dos recursos seleccionados para a actividade.

Enquanto actividade educativa baseada na   Web uma Caça ao Tesouro tem fundamentalmente dois objectivos de aprendizagem:

  • Aquisição de conhecimentos específicos

  • Desenvolvimento de competências de pesquisa e selecção de informação relevante

De acordo com J.M. de Carvalho (Noesis, 1999) uma caça ao tesouro consiste num conjunto de questões  que podem ser respondidas  se acedermos a "sites" que contenham a informação necessária. 

É, portanto, uma actividade orientada, mas com um certo grau de flexibilidade, na medida em que permite que os caçadores dêem um sentido global às pesquisas que encetarem.

Em vez de cingir-se apenas à busca de informações em recursos Web, o modelo procura também apresentar aos alunos missões que decorrem de alguns dos conteúdos investigados. Tal inovação pretende dar ao modelo uma dinâmica característica dos aspectos lúdicos das caças ao tesouro em geral.

 

  Exemplos de Caças ao Tesouro

Ilhas na Euuropa - Uma caça ao tesouro com os Açores como pano de fundo

Black History- past to present: an interactive treasure hunt

The treasure of China


Em Portugal o modelo também pode ser designado por  MapQuest. Uma sub-espécie deste modelo tem vindo a ser desenvolvida  no Brasil por iniciativa do Doutor Jarbas Novelino Barato que a apelidou de  WebGincana.

Se quiser  saber mais sobre o  conceito de WebGincana  clique aqui

Para ver algumas das WebGincanas produzidas por alguns dos alunos do Doutor Jarbas Barato clique aqui.


Leia mais em:

WebGincana a Caça ao Tesouro na Web

Objectivos Educacionais do Modelo WebGincana

 

Aproveito para agradecer ao Doutor Jarbas Novelino Barato as informações, que gentilmente me ofereceu, relativas às WebGincanas.

 

 

 

publicado por dom.bacelar às 02:08

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 16 de Maio de 2007

Usar Imagens do PowerPoint noutras aplicações

Recebeu uma apresentação de Power Point com fotos que pretende utilizar noutros documentos ou guardar para uso posterior e por isso quer transformá-las em arquivos de imagem? Ou quer utilizar um slide do gráfico, por exemplo, para ilustrar outro trabalho? A tarefa é bastante simples.

Siga os passos abaixo:


1) Comece por abrir o PowerPoint.
2) Abra o arquivo da apresentação.
3) Se deseja converter somente um slide, seleccione-o;

4) No menu Arquivo, seleccione a opção Salvar como...;

5) No campo Salvar como tipo:, seleccione o formato de arquivo de imagem desejado. Recomendo JPG para fotos ou GIF para ilustrações;
6) Se desejar, altere o nome do arquivo e a pasta na qual a(s) imagem(ns) serão gravadas;

7) Clique no botão Salvar;

8) Na janela seguinte, informe ao programa se  deseja salvar "Todos os slides" ou "Somente o slide actual"

9) Pronto: a conversão dos slides em arquivos de imagem foi concluída.


Mas desta forma as imagens aparecem com texto e você queria apenas as imagens. Não desespere. Vamos explicar tudo partindo do princípio que está no PowerPoint e com o arquivo aberto.

1.      Escolha o slide que tem a foto que quer guardar.

2.      Dê um clique em cima da foto pretendida. Os contornos da foto aparecem mais definidos.

3.      Vá a editar e faça copiar.

4.      Abra o Paint

5.      Vá a Editar e faça Colar.

6.      Em Ficheiro faça Guardar Como.

7.      Escolha a pasta do destino e o tipo de ficheiro, em princípio será JPG, dê um nome à ficheiro.

8.      Já está.


 

E depois há ainda a tecla PrtSc de que lhe falarei mais tarde..........

publicado por dom.bacelar às 18:27

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 14 de Maio de 2007

O Computador ao serviço de um ensino mais individualizado.

Muitas são as aplicações dos computadores em sala de aula. No entanto uma das mais fascinantes é a permitida pelo software de partilha tipo o NetOP School.

Mas o que é o NetOP School?

O NetOP School é um software da firma Dinamarquesa “Danware Data A/S” e que apresenta as seguintes funcionalidades:

  • Possibilitar aos alunos melhores condições de visualização dos conteúdos apresentados pelo professor, projectando-os no ecrã dos alunos;
  • Proporcionar ao professor mecanismos para difusão e recolha de informação(ex: exercícios, exames, etc…);
  • Optimizar a “lacuna” relativa à insuficiência de projectores vídeo;
  • Assegurar aos professores o controlo dos computadores (teclado/rato) durante a sessão.
  • Controlar, durante a sessão, as actividades de parte ou totalidade dos utilizadores da sala;
  • Comunicar com um ou mais alunos sem interromper os restantes (apropriado para exames);
  • Apresentar o ecrã do professor, ou o ecrã de um qualquer aluno, aos restantes alunos;
  • Acompanhar o decorrer dos trabalhos dos alunos;
  • Distribuir ficheiros por todos os computadores dos alunos;
  • Recolher informação dos computadores dos alunos;
  • Executar aplicações num, em vários, ou em todos os computadores dos alunos;
  • Responder a solicitações de ajuda privadas;
  • Controlar o teclado e rato dos computadores dos alunos;
  • Realçar no ecrã os itens mais importantes;
  • Organizar a sala / grupos de alunos;
  • Suporte para difusão bidireccional de áudio pelos vários alunos;
  • Restart / Shut Down e Logoff aos computadores da “sala”.

Painel de controlo disponibilizado ao professor


publicado por dom.bacelar às 22:14

link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 12 de Maio de 2007

Ensinar os nossos alunos a navegar de forma segura é um tremendo desafio!

Vários têm sido os relatos de jovens  vitimas de confusões pelo simples facto de desconhecerem os riscos da Internet. Isso acontece por não associarem o mundo on-line ao mundo presencial. Não entendem que qualquer decisão ou acção na Internet, pode provocar consequências no mundo presencial.

Mais tarde ou mais cedo as escolas terão que integrar nos seus currículos a questão de utilização segura da Internet. Como exemplo, vou falar um pouco sobre a utilização de blogs na educação.

O blog, conhecido como diário on-line, ou diário de bordo, leva muitos professores e alunos a cometerem erros, como por exemplo, o de pensar que podemos postar tudo o que pensam. Não se deve confundir calunia, difamação e injuria com “liberdade de expressão”. Como diz o ditado popular..... “uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa”. No caso de menores de idade, cabe ressaltar que a responsabilidade civil recai sobre os pais

Assim como a questão citada acima, muitos cuidados devem ser tomados pelo professor, não só para com seus alunos, mas para consigo mesmo e para com a escola enquanto instituição educacional.

O professor pode utilizar o blog com os seus alunos de duas formas, uma delas é criando um blog pessoal e estabelecer indirectamente um vinculo com seus alunos, ou seja, acessam quando tiverem vontade. Na segunda forma, o professor utiliza como complemento pedagógico realmente e actividade didáctica. Neste caso deixo algumas recomendações: (é claro que algumas servem para o blog pessoal também, mas outras são essenciais quando utilizadas dentro da instituição)

- Insira a questão dos blogs no plano da aula;

- Peça autorização da direcção da escola, pois o não conhecimento da escola e também dos pais, pode acarretar problemas legais para todos;

- Esteja sempre atento ao que escreve e ao que os seus alunos escrevem;

- Não utilize o nome da escola ou logótipo, sem a devida autorização da instituição;

- Não publique fotos dos alunos sem pedir autorização dos pais e da escola;

- Nunca chame atenção dos seus alunos no blog, isso pode repercutir muito mal;

- Deixe claro quando está a falar (escrever) por si ou pela escola;

- Estabeleça um código de condutas para os seus alunos no próprio blog.

- Deixe claro o que pode ser feito com as publicações do seu blog. Pode ser copiado, editado, .... etc.

Explique aos seus alunos:

- “Liberdade com responsabilidade de expressão”. Mas justifique, seja convincente e mostre que mesmo que a Constituição  proteja este direito, também protege o direito à honra, à privacidade e à imagem e que o Código Civil, considera que comete acto ilícito quem abusa de um direito;

- O que é calúnia, injúria e difamação?  Ensine que caluniar, injuriar ou difamar alguém é crime e não importa se o fez pela Internet, portanto, falar mal do amiguinho é errado.

- Deixe claro que sendo menor de idade, os seus pais serão responsabilizados;

- Só publique fotos de colegas se eles permitirem (aconselha-se a perguntarem aos pais );

- Ao publicarem uma obra, como poesia, letra de música, devem sempre indicar o autor e quando possível, pedir sua autorização;

- Que não devem publicar informações pessoais, como endereço, telefone, etc.

Ao abordar estas questões estaremos a contribuir não só para o mundo digital, mas também para a questão de cidadania na nossa sociedade.


 

Texto baseado no blog Educação Digital

publicado por dom.bacelar às 11:07

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 8 de Maio de 2007

I Encontro de Bloggers e Leitores de Blogues do Minho!



Blogar é comunicar, partilhando experiências propiciando enriquecimento colectivo.
Encontro de Bloggers e Leitores de Blogues do Minho! propõe-se ser o início de uma série de ocasiões para uma partilha presencial de pessoas que se conheceram no mundo virtual.
Quando se ouvem vozes de que a Internet  isola as  pessoas estas iniciativas provam o contrário. Por isso é importante a sua presença.
Pode saber mais informações sobre este encontro aqui.
Sugira, divulgue, apareça...
publicado por dom.bacelar às 19:00

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 7 de Maio de 2007

As TIC e os professores

As Novas Funções dos Professores

Os professores vivem numa encruzilhada. Muitas acham até que vão acabar substituídos por computadores. Alguns chegaram a apelar para que os professores deixassem de assumir a posição, se é que ainda a têm, que são os detentores da verdade científica, técnica, humanística e artística, e adoptem uma atitude socrática: humildade perante a vastidão e a constante criação do saber. Quando se trata de definir as novas funções dos professores, sucedem-se as ideias do que estes devem ser:

Catalisadores da procura do conhecimento.

Gestores da informação

Mediadores entre o aluno e o mundo caótico da informação.

Auxiliadores na estruturação da diversidade das experiências.

Mestres no sentido socrático, isto é, partes activas na procura do saber, tendo como única certeza as limitações do seu próprio saber.

Facilitadores no acesso à informação, mas sobretudo, não se deve reduzir a meros transmissores de conhecimentos.

Volta-se em suma, à antiquíssima figura do professor como o companheiro mais velho, mas nem por isso menos exigente quanto a modo como se caminha na procura do saber.


texto retirado de



Abordando a postura dos professores perante as TIC e outros temas educativos a página Web   Navegando na Educação da autoria de Carlos Fontes e aqui acessível, é uma referência para todos os que se interessam pela educação.

publicado por dom.bacelar às 00:53

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 6 de Maio de 2007

Para tí minha Mãe -- Obrigado--

No mais fundo de ti,
eu sei que traí, mãe!
Tudo porque já não sou
o retrato adormecido
no fundo dos teus olhos!
Tudo porque tu ignoras
que há leitos onde o frio não se demora
e noites rumorosas de águas matinais!
Por isso, às vezes, as palavras que te digo
são duras, mãe,
e o nosso amor é infeliz.
Tudo porque perdi as rosas brancas
que apertava junto ao coração
no retrato da moldura!
Se soubesses como ainda amo as rosas,
talvez não enchesses as horas de pesadelos...
Mas tu esqueceste muita coisa!
Esqueceste que as minhas pernas cresceram,
que todo o meu corpo cresceu,
e até o meu coração
ficou enorme, mãe!
Olha - queres ouvir-me? -,
às vezes ainda sou o menino
que adormeceu nos teus olhos;
ainda aperto contra o coração
rosas tão brancas
como as que tens na moldura;
ainda oiço a tua voz:
Era uma vez uma princesa
no meio de um laranjal...
Mas - tu sabes! - a noite é enorme
e todo o meu corpo cresceu...
Eu saí da moldura,
dei às aves os meus olhos a beber.
Não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E deixo-te as rosas...
Boa noite. Eu vou com as aves.


Eugénio de Andrade
publicado por dom.bacelar às 05:27

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

."O homem não é nada além daquilo que a educação faz dele." Immanuel Kant

.pesquisar

 

.Recurso a analogias

.Cuidados no uso de analogias

.posts recentes

. Os Chats - uma ferramenta...

. Analogias nas aulas de Ci...

. Google Docs - Partilhar é...

. Sensores Digitais na Educ...

. As Ideias fazem a Europa ...

. Dia da Mulher/Dia da Educ...

. Atribulações e portáteis

. Memórias holográficas: A ...

. Blogs Educativos

. O vídeo: um instrumento d...

. Webquest-Uma janela para ...

. As TIC e as Pessoas Espec...

. Biodiversidade e Homer Si...

. Bill Gates - Tecnologia &...

. O Vídeo como estratégia m...

. Como Inserir os Blogs na ...

. A avaliação como um proce...

. Google - dicas para uma p...

. O papel da Educação na pr...

. A mais bela Metáfora - "A...

.links

.arquivos

. Junho 2010

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Março 2009

. Março 2008

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

Estou no Blog.com.pt

.Veja esta página em Inglês

.tags

. todas as tags

.Cuidados no uso de analogias

blogs SAPO

.subscrever feeds