Terça-feira, 1 de Junho de 2010

Os Chats - uma ferramenta didáctica

As Tecnologias da Informação e da Comunicação têm vindo a provocar uma enorme mudança na Educação, originando novos modos de difusão do conhecimento, de aprendizagem, e, particularmente, novas relações entre professores e alunos.As pesadas enciclopédias foram substituídas pelas enciclopédias digitais, pela consulta de portais académicos e outros locais diversificados. Passamos a utilizar sistemas electrónicos e apresentações coloridas para tornar as aulas mais atractivas e, frequentemente, deixamos de lado o tradicional quadro negro e o giz e passamos directamente para as superfícies e projecções interactivas.

 

A revolução originada pela Internet possibilita que a informação produzida e disponibilizada em qualquer lugar esteja rapidamente disponível em todo o Mundo, originando uma mudança nas práticas de comunicação e, consequentemente, educacionais, em vários aspectos tais como na leitura, na forma de escrever, na pesquisa e até como instrumento complementar na sala de aula ou como estratégia de divulgar a informação, permitindo tanto o ensino individualizado como o trabalho cooperativo e em grupo entre alunos.

O computador por seu lado vem-se afirmando também pelo interesse que causa nos alunos. Curiosos e entusiasmados para aprenderem a mexer, eles ficam atentos a todo tipo de orientação e novidade relacionada ao computador e a Internet. A informática tem, assim, o poder de entreter mesmo aqueles alunos com dificuldades de comunicação e concentração. Deste modo, educar no mundo de hoje é uma tarefa não só das escolas e universidades, mas também da rede mundial de computadores.

 

 

Outra questão a ser considerada, é que neste novo sistema do mundo tecnológico, o professor deixou definitivamente de ser o detentor de todo o saber, para se afirmar como um orientador, um intermediário entre o aluno e os conhecimentos que a Internet pode fornecer.

A passagem do papel do professor de veículo transportador de informação para o de condutor desse mesmo veículo reforça-lhe a importância, se assumirmos a Internet como uma espécie de “território livre”, onde tudo pode ser publicado. O discernimento da qualidade das fontes de informação e a análise da sua fidedignidade são deste modo papéis fundamentais desempenhados pelo professor. A sua participação é crucial para orientar o aluno evitando que ele incorra em erros ou se apoie em informações imprecisas. Para mim, este é um dos mais importantes papéis do professor no contexto actual: oferecer aos alunos orientação para consultas e pesquisas, aproveitando eficazmente as potencialidades da Internet.

 

Por outro lado o aparecimento de formatos comunicacionais mais apelativos e abrangentes coloca nos pedagogos inquietações constantes no sentido de transportarem para o território educativo - as redes sociais, os fóruns, os chats e toda a diversidade interactiva hoje existente.

 

É neste contexto que experimentei transformar os chats em ferramenta educacional. Assumindo o papel de orientador e despoletador das pesquisas por parte dos alunos, constatei que os mesmos desenvolveram competências de pesquisa, tornando-se mais autónomos e colaborativos. O procedimento é relativamente simples e disponível a qualquer docente. No fundo trata-se de recorrer a um serviço de Chat, o que se consegue gratuitamente na Internet, e fazer com que o mesmo seja acessível a todos os alunos de uma dada turma. Depois de todos estarem ligados no chat, o docente coloca uma questão temática, os alunos procuram a resposta e respondem igualmente por chat. Deste modo e em sequência cada aluno vai poder responder ao docente e às questões que os colegas tenham sugerido. Pode igualmente comentar as respostas dos colegas, assim como pedir ajuda ou partilhar o encanto/estupefacção pelo que acabou de ler. A possibilidade de “em tempo real” enviar, aos restantes participantes, as ligações para os sítios que visitou permite a troca de pontos de vistas sobre um mesmo assunto. Depois de uma fase de teste em sala de aula, esta metodologia permite que em situações de isolamento, por motivos de saúde ou outros, o aluno possa permanecer em “contacto directo” com os seus colegas de turma.

 

publicado por dom.bacelar às 22:31

link do post | comentar | favorito
|
12 comentários:
De Alessandra a 27 de Janeiro de 2014 às 14:16
Sugiro a ferramenta ExamTime!
Eles tem a função de grupos de estudos com chat e é ótimo para criar grupos de estudo online, https://www.examtime.com/pt-BR/grupos-de-estudos/.
Ela é online e grátis. O link é https://www.examtime.com/pt-BR/
Ele é ótimo para estudar. Ele tem ferramentas para criar Mapa Mental, Anotações, Quiz, FlashCards e Plano de Estudos. Vale muito a pena explorar todas as ferramentas. Recomendo!
De Paulo Desiderio a 10 de Julho de 2014 às 04:57
Poxa Alessandra, obrigado pela dica, essa eu nao conhecia!!!

Comentar post

."O homem não é nada além daquilo que a educação faz dele." Immanuel Kant

.pesquisar

 

.Recurso a analogias

.Cuidados no uso de analogias

.posts recentes

. Os Chats - uma ferramenta...

. Analogias nas aulas de Ci...

. Google Docs - Partilhar é...

. Sensores Digitais na Educ...

. As Ideias fazem a Europa ...

. Dia da Mulher/Dia da Educ...

. Atribulações e portáteis

. Memórias holográficas: A ...

. Blogs Educativos

. O vídeo: um instrumento d...

. Webquest-Uma janela para ...

. As TIC e as Pessoas Espec...

. Biodiversidade e Homer Si...

. Bill Gates - Tecnologia &...

. O Vídeo como estratégia m...

. Como Inserir os Blogs na ...

. A avaliação como um proce...

. Google - dicas para uma p...

. O papel da Educação na pr...

. A mais bela Metáfora - "A...

.links

.arquivos

. Junho 2010

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Março 2009

. Março 2008

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

Estou no Blog.com.pt

.Veja esta página em Inglês

.tags

. todas as tags

.Cuidados no uso de analogias

blogs SAPO

.subscrever feeds